Fique por dentro das últimas NOTÍCIAS

Aluna conquista premiação inédita para o Paraná na Feira Intel/Isef

É o 6º projeto do Colégio Interativa na Feira que aconteceu em Phoenix, Arizona (EUA)

             Maria Vitória Valoto, aluna do Colégio Interativa de Londrina, recebeu a premiação de 4º lugar na edição de 2016 da Feira Internacional de Ciências e Engenharia (Intel ISEF), evento realizado em Phoenix, Arizona (EUA) entre os dias 08 a 13 de maio. É a primeira vez que o Paraná recebe um prêmio nesta feira, a maior do mundo em ciência jovem.

A estudante da 2ª série do Ensino Médio apresentou o projeto “Desenvolvimento de cápsulas reutilizáveis da enzima beta-galactosidase destinadas aos intolerantes à lactose”, uma alternativa para as pessoas que não podem consumir leite e derivados. No presente evento, a jovem cientista, que completou 16 anos nos Estados Unidos, teve a oportunidade de falar do seu trabalho para John Michael Bisho, ganhador do Prêmio Nobel de Medicina em 1989 pelos trabalhos concernentes à origem celular de tumor retroviral.

Nos cinco dias de evento, participaram 1.700 estudantes de nível médio de mais de 75 países. Prêmios distribuídos somam US$ 4 milhões, incluindo bolsas de estudo. Maria Vitória foi premiada com o 4º lugar na categoria Translational Medical Science e também recebeu 500 dólares.

PROJETO

O gosto pela pesquisa e a rotina alimentar do pai, que tem intolerância à lactose, despertou na jovem o desejo de fazer algo que pudesse ajudar muitas pessoas.

Segundo Maria Vitória existem muitas alternativas no mercado para quem é intolerante (à lactose), mas os produtos tem alto valor financeiro, portanto, ela queria desenvolver uma alternativa mais econômica. “Comecei a pensar em algo que pudesse imobilizar a enzima lactase, através de uma microcápsula adicionada ao leite comum”, explica.  Quando colocado no leite, as cápsulas não se dissolvem, mas liberam a enzima, quebrando assim a molécula de lactose.

Essas cápsulas são reutilizáveis, podendo ser higienizadas com água corrente e armazenadas na geladeira. A princípio, ela pode ser utilizada durante sete dias, uma vez por dia. O preço médio para o mercado, sem lucro, é de R$ 0,01, segundo a jovem pesquisadora e a ideia é desenvolver sachês com 50 cápsulas cada.

Para a pesquisa bibliográfica e desenvolvimento do projeto, Maria Vitória conta com o orientador Fabio Luiz Ferreira Bruschi, professor de Biologia e membro do programa de Iniciação Científica do Colégio Interativa. Para a parte prática, ela conta com a orientação do professor Raul Jorge Hernan Castro Gómez, da Unopar.

Premiação - Intel 2016 -1

Agenda

Veja todos os eventos >

Quer marcar uma visita conosco?

Preencha o formulário e entraremos em contato para agendarmos sua visita